~

A ESCOLA

Fundada em 1989, a Escola Profissional de Música de Espinho (EPME) foi criada com o propósito de ministrar formação em duas áreas praticamente inexistentes no panorama do ensino da música em Portugal: a formação de instrumentistas de orquestra e o estudo da percussão. Foi pioneira na implementação do ensino profissional da música em Portugal. Ministra cursos profissionais de música do 7º aos 12º anos de escolaridade.

Fundada em Outubro de 1989, no âmbito do programa de criação de Escolas Profissionais, então lançado pelos Ministérios da Educação e Emprego e Segurança Social, através do GETAP, e tendo como entidade promotora a Academia de Música de Espinho, a Escola Profissional de Música de Espinho (EPME) propôs-se desde o início possibilitar a formação aos jovens candidatos a músicos em duas áreas praticamente inexistentes no panorama do ensino da música em Portugal: a formação de instrumentistas de Orquestra e o estudo da Percussão. 

O objectivo é o de dar o contributo possível para diminuir o défice de músicos portugueses que possam integrar as orquestras nacionais. Ao longo destas quase duas décadas, a EPME logrou obter resultados extremamente positivos que se podem aferir quer pelo já significativo número de diplomados que exercem actividade profissional como instrumentistas e/ou docentes, quer pela demonstração pública da actividade da Escola, materializada na apresentação de centenas de concertos, um pouco por todo o País e também no estrangeiro.

FORMAÇÃO TÉCNICA

Cordas

VIOLINO | José Pereira, Nuno Soares, José Despujols, Pedro Rocha, Roberto Valdés
VIOLONCELO | Roman Garioud*, Joana Rocha
VIOLA D’ARCO | Trevor Mctait
CONTRABAIXO | Tiago Pinto Ribeiro

GUITARRA | Ricardo Abreu, Tiago Cassola, Eduardo Soares

* Professor Convidado

Madeiras
FLAUTA | Angelina Rodrigues, Paulo Barros
OBOÉ | Aldo Salvetti
CLARINETE | Vitor Pereira
FAGOTE | Robert Glassburner
SAXOFONE | Fernando Ramos, Gilberto Bernardes

Metais
TROMPA | José Bernardo Silva, Nuno Costa
TROMPETE | Ivan Créspo, Sérgio Pacheco, Luís Granjo
TROMBONE | Daniel Dias, Alexandre Vilela
TUBA | João Aibéo

Teclas
PIANO | Fausto Neves, Eduardo Resende, Victor Rodriguez, Luís Duarte, Sérgio Garcia

Percussão

PERCUSSÃO | Joaquim Alves, Rui Rodrigues, Pedro Oliveira, Nuno Aroso

FORMAÇÃO CIENTÍFICA

História da Cultura e das Artes
Ricardo Reis, João Silva

Teoria e Análise Musical
Nuno Peixoto

Física do Som A:
Luís Macedo, José António Silva

FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL

Língua Portuguesa
Ana Ramos, Maria de Loudes Silva, Catarina Silva, Fátima Vilaça, Maria Santos

Línguas Estrangeiras
Inglês: Sónia Carvalho, Jonathan Fox, Mónica Malheiro 

Francês: Catarina Silva

Ciências Naturais e Físicas
Jorge Marinho, Helena França

Ciências Humanas e Sociais
João Sousa, Margarida Fortuna, Marina Castro

Matemática
Simão Santos

Área de Integração
João Sousa, Eliseu Alves, Marina Castro

TIC
Carlos Casaleiro

Educação Física
Vasco Neves

~

CURSOS

A EPME oferece agora o Curso Básico de Instrumento (7º, 8º e 9º anos); o Curso de Instrumentista de Cordas e de Tecla e o Curso de Instrumentista de Sopro e de Percussão (10º, 11º e 12º anos), resultantes da reestruturação dos cursos anteriores – o Curso de Prática Orquestral e o Curso de Percussão -, no âmbito da reforma do ensino secundário.

BÁSICO DO INSTRUMENTO

7º, 8º e 9º anos de escolaridade

COMPONENTES DE FORMAÇÃO

Sociocultural

  • Língua Portuguesa
  • Língua Estrangeira [Inglês, Francês]
  • Ciências Físicas e Naturais [Ciências da Natureza, Ciências Físico-Química]
  • Ciências Humanas e Sociais [História, Geografia]
  • Matemática

Artística

  • Formação Musical
  • Formação Auditiva
  • Introdução à Composição
  • Prática de Conjunto
  • Práticas individuais e de Naipe Instrumento
  • Instrumento de Tecla

Instrumentista de Cordas e de Tecla

10º, 11º e 12º anos de escolaridade

COMPONENTES DE FORMAÇÃO

Sociocultural

  • Língua Portuguesa
  • Línguas Estrangeiras
  • Área de Integração
  • Educação Física

Científica

  • História da Cultura de das Artes
  • Física do Som

Técnica

  • Instrumento
  • Música de Câmara
  • Naipe, Orquestra e Prática de Acompanhamento
  • Formação em Contexto de Trabalho

Instrumentista de Sopro e de Percussão

10º, 11º e 12º anos de escolaridade

COMPONENTES DE FORMAÇÃO

Sociocultural

  • Língua Portuguesa
  • Línguas Estrangeiras
  • Área de Integração
  • Tecnologias de Informação e Comunicação
  • Educação Física

Científica

  • História da Cultura e das Artes
  • Teoria e Análise Musical
  • Física do Som

Técnica

  • Instrumento
  • Música de Câmara
  • Naipe, Orquestra e Prática de Acompanhamento
  • Projectos Colectivos e Improvisação
  • Formação em Contexto de Trabalho

Ensino Básico – Curso Básico de Instrumento

Podem ingressar no Curso Básico de Instrumento os alunos que concluíram o 6º ano de escolaridade e que demonstrem capacidades e conhecimentos musicais ao nível do II ciclo do ensino básico.

Ensino Secundário – Curso de Insturmentista de Cordas e de Tecla/ Instrumentista de Sopro e Percussão

Podem ingressar no Curso Profissional de Instrumentista de Cordas e de Tecla e no Curso Profissional de Instrumentista de Sopro e de Percussão os alunos que concluíram o 9 º ano de escolaridade e que demonstrem capacidades e conhecimentos musicais ao nível do curso básico de música.

Outras Informações Gerais

Para os alunos interessados em ingressar na Escola Profissional de Música de Espinho no ano lectivo 2014/2015, informa-se que o período de inscrições decorre a partir de Março, e as provas realizam-se em Julho de 2014. A inscrição é condicional e a admissão está sujeita à realização de provas de aptidão vocacional.

~

PROJECTOS

O Projecto Educativo da Escola Profissional de Música de Espinho privilegia a procura permanente de experiências profissionais relevantes, nomeadamente através da realização de estágios de formação e apresentações em contexto real de trabalho, mantendo simultaneamente uma forte preocupação em fornecer uma sólida formação científica e uma formação integrada que responda a diferentes necessidades dos alunos. Para esse efeito, foram criados e desenvolvidos vários projetos artísticos, entre os quais se destacam, a Orquestra Clássica de Espinho, a Orquestra de Jazz, o Grupo de Percussão e a Orquestra Camerata.

ORQUESTRA CLÁSSICA DE ESPINHO
ORQUESTRA CLÁSSICA DE ESPINHO
ORQUESTRA CAMERATA
ORQUESTRA CAMERATA

A Orquestra de Jazz da Escola Profissional de Música de Espinho é uma estrutura académica constituída em 2009 com o propósito de proporcionar aos alunos uma abordagem à linguagem do Jazz, introduzindo um factor de enriquecimento do seu percurso formativo em termos curriculares. O projecto artístico da Orquestra tem-se centrado, fundamentalmente por razões académicas, na execução do repertório de referência para Big Band da segunda metade do século XX, revisitando composições emblemáticas do acervo das orquestras de Thad Jones & Mel Lewis, Count Basie, Duke Ellington e Bill Holman e de outros grandes nomes da área, contando com a direcção artística e musical de dois reputados especialistas, Paulo Perfeito e Daniel Dias.

A Orquestra alcançou rapidamente um nível de interpretação muito relevante, sendo convidada com regularidade para se apresentar noutros locais e contextos, nomeadamente, na Casa da Música, no Teatro de Vila Real, no Teatro Municipal de Bragança, bem como, no Festival Serralves em Festa (desde 2010).  A Orquestra tem desenvolvido vários projectos temáticos, com bastante êxito, normalmente centrados em reportórios específicos, em intérpretes, em compositores, alguns dos quais fazendo, inclusivamente, a ligação com a imagem ou a dança. A Orquestra de Jazz da EPME tem, ao longo do seu percurso, acompanhado vários solistas de renome, entre os quais se destacam Marshall Gilkes, Marc Schwartz, Carlos Azevedo, Michael Lauren, entre outros.”

O Grupo de Percussão da Escola Profissional de Música de Espinho foi constituído no momento da abertura da Escola, em Outubro de 1989, preenchendo um dos cursos ali leccionados, juntamente com o de Prática Orquestral. No Curso de Percussão, para além das disciplinas de formação geral e científicas da área da música, os alunos dedicam particular atenção ao estudo do variado instrumental da percussão e à prática da música de conjunto.

O Grupo de Percussão da Escola Profissional de Música de Espinho tem-se apresentado frequentemente em público em moldes solísticos, em conjuntos de câmara ou fazendo parte integrante da Orquestra da Escola. Realizou diversas estreias em Portugal do repertório contemporâneo para percussão, participou nas 1ªs e nas 2ªs “Jornadas de Arte Contemporânea do Porto”. Apresentou ao público, em Estreia Mundial a obra “Kyti” do compositor João Pedro Oliveira, uma encomenda da Escola. Coube-lhe até ao momento a divulgação de obras referenciais da Percussão, muitas delas em primeira audição em Portugal.

Ao longo dos últimos ano vários elementos deste Grupo ­— que anualmente vai variando de composição — têm sido convidados a participar em estágios nas diversas Orquestras Portuguesas, bem como, acedido regularmente a seminários organizados na Escola Profissional de Música de Espinho e dirigidos por músicos de nomeada, entre os quais se destacam, Miguel Bernat, Georges-Elie Octors, Bart Quartier, Ricardo Fernandes, Emmanuel Séjourné, Steven Schick, Fritz Hauser, entre outros.

Realizou em 1994 e 1995, duas séries de concertos em Espanha tendo actuado em Oviedo, Bilbao, Zaragoza, Lliria, Torrent, Valencia, Murcia, La Coruña, La Bañeza e Léon onde foi bastante aplaudido e obteve excelentes críticas. A orientação da classe de Percussão é da responsabilidade dos Professores Pedro Oliveira e Rui Rodrigues.

~

CONTACTOS

Horário de funcionamento da Secretaria da EPME

Segunda a Sexta, das 9h00 às 18h00

Email

epme.sec@musica-esp.pt (secretaria) / cpepme@musica-esp.pt (coordenação de Curso)

Morada

Rua34, nº884 – 4500-318 Espinho, Portugal

Telefone/Fax

Tel.:(+351) 22 734 11 45 / 22 734 04 69 Fax: (+351) 22 731 19 32