António Esteireiro, ógão

Julho

Sab13Jul12:00António Esteireiro, ógãoIgreja Matriz de Espinho12:00

Preço:

Entrada Livre

Duração:

45 min

Detalhes

Mestres da Música Francesa para Órgão

As peças que compõem este recital foram escritas nos séculos XVII, XIX e XX. Assim, o roteiro deste programa centra-se na tradição organística francesa, do Barroco ao Romantismo. A melodia de cantochão do hino de Pentecostes Veni creator spiritus é a matéria-prima para Nicolas de Grigny elaborar uma composição barroca em que se destaca a interacção entre as vozes. Na sua curta vida, Grigny foi organista em Paris e em Reims, tendo seguido e contribuído para prolongar os modelos organísticos franceses. Essa tradição foi recuperada e revitalizada a partir de meados do século XIX, graças a compositores como César Franck e Marcel Dupré. Franck, nascido na Bélgica, mas emigrado em França é um dos expoentes mais relevantes do Romantismo tardio, tendo ocupado um lugar central na escrita de peças para os novos órgãos sinfónicos e para harmónios de palhetas. As variantes tímbricas e a abordagem romântica encontram-se bem patentes no seu Coral n.º 3 (itálico). Marcel Dupré seguiu essa tradição no Prelúdio e Fuga em sol menor (itálico), em que várias camadas e níveis sonoros interagem através da mestria de um dos mais destacados organistas do seu tempo.

PROGRAMA 
Música francesa para órgão

Nicolas de Grigny:
Hino Veni creator

César Franck :
Coral n.º 3 em lá menor

Marcel Dupré:
Prelúdio e Fuga em sol menor, op. 7 n.º 3

Jonathan AyerstPlanetário Créditos Divulgação NASA